Qual a sua meta para 2016? - Gestor de Obras - Tudo sobre Construção Civil
Painéis termoisolantes garantem conforto térmico às edificações
26/11/2015
Planilha Demonstrativo de Leis Sociais
Planilha Demonstrativo de Leis Sociais: SINAPI e TCPO
30/11/2015

Final do ano se aproximando e está chegando a hora de começar a fazer o balanço de 2015. Mas, hoje gostaria de fazer um questionamento muito importante: “Quais as suas metas para 2016?”.

Nesta época do ano, durante as consultorias que realizo, atendo empresários dizendo que querem fazer os negócios evoluírem e que tudo melhore no próximo ano. Considero estes pedidos muito vagos, pois quando os questiono sobre quais as metas de sua empresa para o ano que se aproxima, eles continuam sendo superficiais.

Geralmente, uma meta começa de um desejo – este sim, pode ser amplo e um pouco vago. No entanto, os empreendedores devem conseguir canalizar estes desejos e transformá-los em metas.  Por exemplo, recentemente atendi um empresário que me disse o seguinte: “No ano que vem quero ver a minha empresa expandir e crescer”. Logo em seguida, já retruquei com algumas perguntas chaves: Como medir este crescimento? O que exatamente será considerado crescimento para você: aumento no faturamento, no número de clientes ou na quantidade de filiais? Qual o prazo para alcançar esta meta? Qual o plano para execução e alcance desta meta? E, inclusive, qual o significado pessoal que esta meta vai lhe proporcionar?

A partir destes questionamentos fica clara a diferença entre desejos e metas. Ao contrário dos desejos, que geralmente são vagos e pouco planejados, a meta deve ser mensurável, específica, temporal, alcançável e também deve ter algum significado pessoal. A meta oferece dados concretos que norteiam as ações do empresário, sempre em busca de melhores resultados.

Voltando ao exemplo citado, em um cenário ideal, as respostas do empresário ficariam assim: “No ano de 2016, tenho a meta de fazer a minha empresa crescer 15% no faturamento e abrir mais três filiais na região nordeste, sendo que as novas unidades serão abertas até o mês de outubro. Para isso, serão utilizados recursos próprios, provindos do lucro acumulado de períodos anteriores e financiamento via BNDES já pré-aprovado. Com isso, conseguirei aumentar a rentabilidade do meu negócio e poderei trocar de casa para dar mais conforto a minha família”.

Agora pergunto: Você tem metas ou só desejos para sua empresa?

Comentários

comentários

Thiago Faravallo Florencio
Thiago Faravallo Florencio
Empreendedor, é CEO do Construon e do Portal Gestor de Obras.