Por que fazer um curso de segurança do trabalho é importante? - Gestor de Obras - Tudo sobre Construção Civil
Por que o drywall é o melhor sistema construtivo para hospitais - Portal Gestor de Obras
Por que o drywall é o melhor sistema construtivo para hospitais
29/03/2019
Construção a Seco - Gestor de Obras - Uma visão geral sobre o assunto
Construção a seco: uma visão geral sobre esse “assunto”
17/08/2019
Mostrar tudo

Por que fazer um curso de segurança do trabalho é importante?

Por que fazer um curso de segurança do trabalho é importante - Portal Gestor de Obras

Por que fazer um curso de segurança do trabalho é importante - Portal Gestor de Obras

O curso pode ajudar a evitar acidentes de trabalho e suas consequências materiais e humanas. O curso pode ajudar a evitar acidentes de trabalho e suas consequências materiais e humanas

É bem provável que você já tenha ouvido falar sobre segurança do trabalho, seja em sua empresa, em conversas com amigos ou na internet, e entender o assunto a fundo é um diferencial importante para o mercado de trabalho e também para sua proteção.

Tais conhecimentos são muito versáteis e podem ser conhecidos por todos os profissionais, tanto os que atuam diretamente no setor quanto os colaboradores de outras áreas, que podem aplicá-los em seu dia a dia para ter uma rotina de trabalho segura para si próprio, seus colegas e também o ambiente.

Vamos entender este conceito e porque sua importância é tão grande para as empresas e seus colaboradores.

O que é segurança do trabalho?

É o conjunto de medidas, técnicas e práticas adotadas com o objetivo de minimizar a chance de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais, além de ajudar a proteger a saúde e a capacidade produtiva dos colaboradores.

Além disso, o termo também define o departamento que tem a responsabilidade de criar iniciativas e procedimentos a serem seguidos pelos demais colaboradores para reduzir as chances de acidentes, doenças e problemas de segurança no ambiente de trabalho.

De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), no Brasil, a cada 48 segundos acontece um acidente de trabalho, os quais são responsáveis por aproximadamente 4 mil mortes por ano, o que corresponde a quase 11 mortes por dia.

Essa é uma estatística que precisa ser melhorada, e a melhor alternativa para conseguir obter esse resultado é aprender as técnicas e práticas relativas à segurança do trabalho. Alguns dos tópicos abordados por ela são os seguintes:

  • Introdução à segurança;
  • Prevenção e controle de riscos em máquinas;
  • Psicologia na engenharia de segurança;
  • Comunicação e treinamento;
  • O ambiente e as doenças do trabalho;
  • Higiene do trabalho;
  • Legislação;
  • Normas técnicas;
  • Perícias;
  • Ergonomia e iluminação;
  • Responsabilidade civil e criminal;
  • Proteção do meio ambiente;
  • Proteção contra incêndios e explosões.

Basicamente, tudo o que está relacionado à segurança no ambiente de trabalho, tanto do próprio colaborador quanto dos demais, está englobado neste amplo conceito.

Quais são as normas de segurança do trabalho?

O Brasil conta com uma Legislação de Segurança completa, a qual é composta por Normas Regulamentadoras (NRs), leis complementares e convenções internacionais criadas pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) e adotadas pelo país.

Até mesmo quem não tem profundos conhecimentos sobre o assunto já deve ter ouvido falar de termos como NR 10 e NR 35, por exemplo. As normas regulamentadoras de segurança do trabalho mais conhecidas são as seguintes, com seus respectivos assuntos:

  • NR 4 – SESMT: estabelece a obrigatoriedade de organização e manutenção do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT), cujo objetivo é o de ter um ambiente saudável e seguro para a integridade física dos colaboradores.
  • NR 5 – CIPA: traz a obrigatoriedade de estabelecer e manter uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), constituída por colaboradores que terão o compromisso de cuidar da saúde e da segurança do trabalho nos ambientes profissionais.
  • NR 6 – EPIs: trata da necessidade de usar os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) nos serviços considerados como sendo de risco. É importante ressaltar que a obrigatoriedade de fornecimento dos EPIs é da empresa.
  • NR 7 – PCMSO: aborda a obrigatoriedade de implementar um Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), com o intuito de proteger a saúde do colaborador através da prevenção e identificação prévia de riscos relacionados às suas atividades.
  • NR 9 – PPRA: aborda a necessidade da elaboração do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), documento responsável por descrever agentes físicos, químicos e biológicos do espaço de trabalho.
  • NR 10 – Segurança em instalações e serviços em eletricidade: traz os requisitos e condições mínimas para implementar medidas de controle e sistemas preventivos para proteger a saúde e segurança dos profissionais que trabalham com instalações elétricas e serviços que envolvam eletricidade.
  • NR 26 – Sinalização e segurança: define o padrão de cores utilizado para a sinalização de segurança, a qual tem como objetivo indicar riscos em potencial para a saúde dos colaboradores.
  • NR 33 – Espaços confinados: aborda os requisitos mínimos para definir um ambiente como espaço confinado e traz as medidas de segurança que devem ser aplicadas para a realização de atividades profissionais nesses locais.
  • NR 35 – Trabalho em altura: traz os requisitos mínimos e medidas de segurança para trabalho em altura, a qual aborda o planejamento, a organização e a execução de tais procedimentos para que os trabalhadores envolvidos direta ou indiretamente com as atividades tenham sua saúde e segurança garantidas.

Por que fazer um curso de segurança do trabalho?

Para ter noções gerais a respeito do assunto e, assim, ter condições de trabalhar da maneira mais segura possível, tanto para o próprio colaborador quanto para o restante da equipe.

Por ser um assunto bastante versátil e que se aplica às mais variadas profissões, quem faz um curso de segurança do trabalho tem melhores chances no mercado para novas colocações e também para promoções na empresa atual.

Também é possível atuar diretamente na área como técnico e tecnólogo em segurança do trabalho, e os cursos profissionalizantes podem servir como uma introdução ao assunto para quem estiver interessado em seguir essa carreira.

O curso aborda os conceitos iniciais de segurança do trabalho, a parte de legislação, os riscos ambientais e os principais programas de prevenção, de modo que os alunos conheçam os assuntos mais importantes e estejam aptos a aplicá-los em seu ambiente profissional.

Como diz o ditado, é melhor prevenir do que remediar, e ser um conhecedor de segurança do trabalho é benéfico para o funcionário, a família, o empregador, a equipe e a sociedade como um todo.

Além de todos esses benefícios, as aulas podem ser feitas a distância, o que permite ao colaborador encontrar os melhores dias e horários para estudar, de modo a não prejudicar suas outras atividades cotidianas.

Se você quer se destacar no mercado e trabalhar em um ambiente protegido para você, as outras pessoas e o ambiente, invista em cursos online de segurança do trabalho e torne-se um profissional ainda mais completo e capacitado!

Aproveite também para baixar a nossa planilha de indicadores de saúde e segurança do trabalho.

Planilha de Indicadores de Saúde e Segurança do trabalho:

SOBRE A FERRAMENTA: Painel de Indicadores de Saúde e Segurança do Trabalho Fit, que permite o profissional acompanhar a evolução de performance de seus canteiros de obras e também de sua empresa. Trata-se de uma planilha de fácil manuseio, de simples atualização e demonstração instantânea dos principais indicadores da área a partir de tabelas e gráficos.

Baixar a planilha agora!

Comentários

comentários