Planilha de Cálculo do BDI
Planilha Analítica de Composição de BDI
01/10/2015
Construção Civil – Momento de reflexão
16/10/2015
Mostrar tudo

O que um gestor de obras pode aprender com um restaurante?

O maior recurso que qualquer empresa possui, com certeza são as pessoas. Entretanto, é comum ouvir reclamações de empresários sobre seus funcionários. Sabemos que a mão de obra esta na lista das maiores dificuldades de toda empresa e a pergunta que eu sempre faço é: Será que a culpa não é sua?

Sim, na grande maioria sim.

Veja agora um exemplo muito interessante de uma empresa que se dedica a treinar seus funcionários para que de fato eles possam ser mais produtivos e consequentemente gerar maiores resultados para empresa.

Estou falando de um restaurante que ao contratar um garçom, na primeira semana ele não precisa nem ir de uniforme e simplesmente passa a semana toda comendo os produtos do cardápio, que por sinal são uma delicia.

Na segunda semana, o funcionário coloca seu uniforme e é apresentado a outro garçom mais experiente, conhecido como tutor. Nessa semana, ele ainda não ira atender nenhum cliente, vai apenas acompanhar o seu tutor nos atendimentos, sem ao menos falar com os clientes.

Depois disso, na terceira semana ele é liberado para atender uma mesa por dia, sob supervisão do tutor.

Por fim, na quarta semana ele esta preparado para realizar o melhor atendimento possível, pois na primeira semana que ele passou “comendo os produtos”, na realidade ele estava conhecendo tudo o que a empresa oferece, conseguindo assim propriedade na hora de realizar um atendimento e sugerir uma alternativa ao cliente. Isso também gera maior segurança na execução da tarefa, pois ele conhece todos os produtos ou serviços que a empresa dispõe.

Acompanhando o tutor na segunda semana, ele pode perceber exatamente como funciona o processo completo. Desde a apresentação pessoal, da empresa, dos produtos, serviços até entender os questionamentos, pedidos ou objeções que os clientes possuem.

Nesse momento, a postura do tutor é fundamental, pois o novo funcionário ira sempre se espelhar nele.

Assim, na terceira semana, o funcionário começa a realizar sua atividade com maior autonomia, pois aprendeu exatamente o processo completo na semana passada com uma pessoa mais experiente. Ainda assim, ele será acompanhado pelo Tutor, pois qualquer deslize duvida ou erro que ele cometa, o tutor estará presente para atuar.

Então, na quarta semana depois de conhecer todos os produtos, serviços e processos na empresa, depois de ter aprendido e vivenciado com alguém mais experiente o que fazer e o que não fazer, depois de ter executado a tarefa ainda sob supervisão, tendo a chance de melhorar caso tenha feito algo errado, sim, ele está pronto para entrar em ação e fazer o melhor por sua empresa.

É claro que dependendo do porte de sua empresa não será possível manter um funcionário durante um mês inteiro em treinamento, entretanto, não seria possível reduzir essas 4 semanas em 5 dias? Isso poderá custar muito mais barato do que você imagina, com um ganho imensurável que é conseguir mão de obra qualificada.

Comentários

comentários

Claudio Augusto
Claudio Augusto
Entrepreneur, MBA em Gestão de Marketing, Diretor de Marketing da Cromarca e Co-Fundador Ongstore. Foi consultor do Sebrae durante 10 anos.