Montei minha Empresa. E agora, vou morrer? - Gestor de Obras - Tudo sobre Construção Civil
Construção à Seco e Meio Ambiente
12/08/2015
Empreender não é para pessoas normais
01/09/2015
Mostrar tudo

Montei minha Empresa. E agora, vou morrer?

Adaptado de: Monstro Criativo

Uhuu! Abri minha empresa, minha tão sonhada e planejada empresa. Agora tenho a maravilhosa missão de empreender. WOW!!

O sonho de ser seu próprio chefe e trabalhar quando quiser, onde quiser e no dia que quiser. hahaha… Não é bem assim!

Quando você abre uma empresa deixa de trabalhar suas 40 e poucas horas semanais para trabalhar 80. É insano!!

Você pode até dizer que vai trabalhar menos do que antes, ou que vai manter um ritmo de vida saudável, ou que vai passar bastante tempo em casa com a família e etc, mas ao menos que você seja rico, vai ter que ralar muito pra chegar em um patamar onde as coisas fluirão naturalmente e as pessoas trabalharão pra você e por você (que dia glorioso será este em que ganharei para ficar relaxando all day, all time!!!)

Reza a lenda que você só vai poder ir dormir em paz depois que a sua empresa sobreviver os 5 primeiros anos.

 A dolorosa via sacra do empreendedorismo

No Brasil, um monte de empresas morrem antes de completar o 1º aninho de vida. Somente os fortes sobrevivem!

Reza a lenda que você só vai poder ir dormir em paz depois que a sua empresa sobreviver os 5 primeiros anos.  As empresas que passaram dessa idade já estão começando a se firmar no mercado, só aí o chefe pode ir dormir tranquilo.

Enquanto esse dia não chega a via é dolorosa, difícil, cheia de espinhos, pedras, troncos e tudo de ruim que você possa imaginar.

A concorrência presta um serviço melhor que você, vende um produto mais caro que o seu, ganha mais dinheiro que você…

O cliente não confia em te contratar por que você é novo no mercado, não tem portfólio descente pra apresentar, não tem nenhum case bacana na sua lista…

As contas chegam todo mês, sem falta. Água, luz, internet, telefone, aluguel, transporte…

O dinheiro vem tão ensaboado que nem chega em casa, já desliza da conta bancária no mesmo dia que o cheque compensou… (pelo menos você pagou mais um mês do aluguel, não é?)

Então eu vou mesmo morrer!

Aí você acorda em um belo dia ensolarado. Os pássaros entram pela janela pra te ajudar a se vestir enquanto cantam uma  daquelas músicas da Branca de Neve, o ar puro paira em sua volta, sua esposa preparou aquele banquete maravilhoso com 3 tipos diferentes de sucos naturais, bolo e pão caseiro. Que maravilha! Mas você é um empreendedor de primeira viagem, meu caro. Você chegou em casa às 22hr no dia anterior, acordou às 07hr da matina pra ir tentar fazer mais uma grana, tem uns bicho nojento no seu quarto, voando na sua cabeça, te atrapalhando a se vestir e fazendo um barulho infernal.  Você mora em São Paulo e tem renite alérgica, então não sente cheiro de nada e quando olha pra mesa do café da manhã… Meu Deus do céu, pra quê essa mulher fez esse monte de comida se só tem eu e ela dentro de casa??

Meu camarada, isso é só um pouquinho do stress que vai te seguir nessa caminhada.

Mas tem aquela receitinha básica e clássica (que funciona, isso é que é o pior) que todos os médicos passam, que toda hora mostra na TV e que a gente só lembra depois que tem um ataque do coração:

Comer bem, fazer exercícios, tirar um tempo pra relaxar, fazer um pouco do que gosta, ter um hobbie – e toda aquela ladainha que todo mundo já conhece – ajuda a evitar esses extremos da vida sem patrão.

Viva a vida! Viva o empreendedorismo! Não morra!!!

Você já é empreendedor? Já passou ou ainda está passando pela “via sacra”? Nos conte um pouco nos comentários.

 

Comentários

comentários

Thiago Faravallo Florencio
Thiago Faravallo Florencio
Empreendedor, é CEO do Construon e do Portal Gestor de Obras.