Laje Nervurada: Quais as vantagens e desvantagens - Gestor de Obras - Tudo sobre Construção Civil
Planilha para Diagnóstico de Perfil de Compras
Planilha para Diagnóstico de Perfil de Compras das empresas da Construção
17/09/2018
Mostrar tudo

Laje Nervurada: Quais as vantagens e desvantagens

Vantagens e desvantagens do sistema de laje nervurada

Vantagens e desvantagens do sistema de laje nervurada

Neste artigo falaremos a respeito de laje nervurada: quais as vantagens e desvantagens para aplicar esse método em suas obras. Para quem não sabe esse é um tipo de laje formada por vigas em forma de “T” que seguem em uma ou mais direções.

Esse tipo de laje recebe esse nome devido ao efeito que causa na superfície inferior, que podem apresentar volumes prismáticos ou cúbicos, que serão delimitados pelas nervuras ou vigas.

 

Onde são empregadas esse tipo de lajes?

Geralmente são utilizadas em projetos que necessitam de maiores vãos nas estruturas, mas isso não quer dizer que não pode ser utilizada em lajes de casas ou escritórios.

São escolhidas mediante ao projeto arquitetônico da obra e tem como finalidade uma redução de carga com auxílio de vãos maiores. Já uma laje convencional pode ser antieconômica quando existir vãos mais expressivos, podendo gerar desperdício de material.

Importante dizer, somente para a nível de curiosidade que até o ano de 1980, os materiais utilizados para esse tipo de obra eram formas de madeira. Hoje em dia, é possível encontrar outros materiais, além de técnicas de produção e formas.

Como são fabricadas lajes nervuradas?

Existem dois tipos de lajes nervuradas, uma delas pode ser executada com cubetas plásticas de polipropileno, tendo ainda a possibilidade de ser utilizada em plantas retangulares ou quadradas.

Em um modelo assim é preciso levar em consideração o fabricante e se existe uniformidade nas cubetas. O cimbramento deve ser realizado com escoras de metal e uma estrutura reticulada que pode seguir ou não seus limites.

Você também pode colocar as cubetas sobre uma plataforma que tenha sido revestida por compensado plastificado ou resinado.

Em seguida virá o posicionamento das armaduras e das formas e por fim, a concretagem. Essas são as formas que mais permitem reaproveitamento, no entanto, você precisa saber que as mais escuras são as mais castigadas pelo tempo por contarem com menor vida útil.

Para as lajes nervuradas é preciso tomar alguns cuidados quando se existem pilares no projeto para não causar o efeito de puncionamento. As lajes nervuradas nada mais são que trechos que contam com superfícies inferiores nervuradas.

Existe um tipo de laje nervurada que é mais conhecida pelos profissionais do ramo como, mista, devido a sua forma de preenchimento. Entre as nervuras existem espaços para serem preenchidos pelo concreto e contam também com vigas treliçadas instaladas em uma direção.

Quais as vantagens de uma laje nervurada

  • O modelo EPS pode propiciar isolamento acústico e térmico;
  • Esse tipo de laje ajuda na economia dos materiais empregados e ainda conta com uma maior resistência e menor peso que se espalha pelos elementos das estruturas;
  • Os cubetas podem ser reaproveitados em outras obras;
  • E falando em cubetas de plástico, proporciona um acabamento de qualidade que proporciona um efeito diferente para os ambientes, agregando valor arquitetônico;
  • Outro ponto positivo é a possibilidade de uma melhor customização da planta arquitetônica da obra, proporcionando melhor flexibilidade.

E agora as desvantagens desse tipo de laje nervurada

  • É necessário atentar para o uso das cubetas, pois uma má aplicação pode causar acidentes, por isso, utilize produtos corretos de EPC e EPI;
  • Para as cubetas serem reaproveitadas em outras obras é preciso manuseá-las com cuidado;
  • Quando existem instalações sob a laje os efeitos das cubetas na laje são menores;
  • Os materiais em EPS são delicados e por isso não resistente ao tráfego sobre eles e por isso, é preciso tomar cuidado;
  • É preciso levar em consideração o mesmo pé-direito estabelecido pelo código de obras para que haja um ganho de altura da laje, que será propagado na soma de cada pavimento. Geralmente a altura e a sombra são definidas durante o projeto e são um limitante arquitetônico.

 

Lajes nervuradas moldadas no local

Esse tipo de laje pode ser moldada no local em que está sendo realizada a obra, suas etapas são realizadas no sistema “in loco”, ou seja, é importante realizar as nervuras com a utilização de formas e de escoramentos, além, claro, do enchimento. Como dito, essas formas podem ser encontradas em polipropileno ou em metal e são organizadas no local da obra, sendo dispostas lado a lado milimetricamente corretas para um melhor acabamento. Para esse tipo de aplicação é necessário utilizar um desmoldante.

Lajes nervuradas pré-moldadas

Nessa opção é dispensado a utilização do tabuleiro da fôrma tradicional pelas vigotas pré-moldadas. Elas são resistentes e aptas para suportar seu próprio peso e as ações causadas pela construção, no entanto, necessita de cimbramentos intermediários.

Para esse tipo de laje, além das vigotas é necessário contar com elementos de enchimento que serão aplicados sobre os pré-moldados.

Esse tipo de laje é bem antiga, observe no quadro acima, pintura de Leonardo da Vinci, repare no teto da santa ceia.

Como é construída uma laje nervurada

  • Forma: depois das formas escolhidas, são dispostas sobre uma plataforma, a qual será sustentada por cimbramentos, devidamente apoiados e contraventados e apoiados no piso da obra. Esses cimbramentos podem ser de aço ou madeira.
  • Armadura: depois das formas serem colocadas, obedecendo os espaçamentos informados no projeto, inseri-se as barras de armaduras das nervuras e seus espaçadores para garantir proteção contra corrosão e o cobrimento necessário. Caso seja necessária, deve ser colocada sobre os blocos.
  • Concretagem: depois do amassamento, vem a concretagem e não é permitida entre o fim ou intervalo de uma hora. Esse prazo deve ser contado a partir da betoneira ao pé da obra. A concretagem nesse tipo de laje deve ser realizada de uma única vez e o concreto deve ser o mais homogêneo possível para reduzir os espaços vazios.
  • Cura do concreto: quando o endurecimento começa, nada mais comum que o cimento perda a água uma quantidade de água expressiva utilizada em sua preparação, por isso, a necessidade de umedecer a laje nervurada para um melhor resultado depois da cura do concreto.
  • Retirando as formas: as formas devem ser retiradas somente quando a laje estiver realmente bem seca para não sofrer transformações com a retirada desses adereços.

E agora que sabe um pouco mais sobre as lajes nervuradas, nada melhor do que atentar para os detalhes mencionados neste artigo. E seguir em frente com um projeto que trará economia para sua obra e também, um visual arquitetônico que poderá valorizar ainda mais o seu empreendimento.

Parceiro de conteúdo: Total Construção

Comentários

comentários